19 de março de 2017

ROCK DE LUTO: UMA MODESTA HOMENAGEM AO VERDADEIRO PAI DO ROCK

Podemos dizer que a morte é a maior certeza que temos. Não há vacina contra ela. Não há quem tenha a dispensado. Ainda assim, ela nos traz um sentimento diferente. Para alguns, o fim. Para outros, a passagem para uma nova etapa.

E com o respeito a quem foi em minha opinião O PAI DO ROCK AND ROLL, deixo meu agradecimento ao norte-americano CHARLES EDWARD ANDERSON BERRY SENIOR, também conhecido como CHUCK BERRY. Ele tinha 90 anos.


Não entrarei aqui no mérito sobre quem foi o cara a executar os primeiros acordes do Rock na história (embora isso gere uma discussão muito boa). Não se trata de quem pôs no mundo, mas de quem fez seguir o caminho certo. Afinal, pai é quem cria.

O roqueiro CHUCK BERRY é simplesmente incontestável. É a síntese do estilo, o conjunto da obra. É o negão que mostrou aos branquelos como é que se faz uma introdução de guitarra, um "passinho", um show de Rock.

Oficialmente, são contabilizados quase 70 lançamentos em sua discografia (incluindo discos ao vivo e coletâneas). Desde "Maybellene" lançada em 1955, o pai do Rock colecionou super sucessos. Diversas faixas dele também deixaram de ser exploradas. O último disco de inéditas de CHUCK foi Rock It! (1979). Um novo álbum, com novas faixas, estava programado para ser lançado neste ano. Fiquemos no aguardo para saber se o material já havia sido gravado ou não.

Abaixo, algumas faixas em homenagem a este senhor que prestou serviços imensuráveis à humanidade.

Um lado B do primeiro disco de BERRY. O pai do Rock ensina o Blues. Faixa fodástica.

O clássico definitivo do Rock and Roll. Vai Joãozinho, vai...

O site Second Hand Songs cita 113 versões e 8 adaptações para essa faixa. "Surfin' USA" dos BEACH BOYS te lembra alguma coisa???

Faixa instrumental do álbum Two Great Guitars (1964), lançado em parceria com BO DIDDLEY.

Show antológico no Filmore Auditorium em 1967. A banda que toca com CHUCK BERRY aqui é ninguém mais, ninguém menos que a STEVE MILLER BAND.


Faixa do último (e pouco executado) disco de estúdio dele. Nem parece que esse LP saiu no Brasil.


O cara já era conhecido em todo o sistema solar e ainda foi tocar na inauguração de uma concessionária automotiva. É o Rock acima das vaidades.


Obrigado, CHUCK BERRY. Descanse em paz.