26 de setembro de 2021

ROCK DE LUTO: ALAN LANCASTER

Quero deixar meu registro de pesar em razão do falecimento do baixista ALAN LANCASTER. Ele tinha 72 anos e sofria de esclerose múltipla. 


ALAN foi responsável por um dos maiores movimentos da história do Rock: a fundação da banda STATUS QUO. Mesmo destacando-se com uma pegada Hard no início da década de 1970, a banda alcançou o sucesso definitivo nos anos seguintes, quando tornou-se sinônimo de um dos sub-gèneros do Rock: o Boogie Rock

Embora alguns torçam o nariz para a banda, ou mesmo a considerem "coisa de tiozão", o STATUS é uma referência mundial, respeitada e coverizada por roqueiros e metaleiros renomados em todo o planeta. 

Além de sua história no STATUS entre 1967 e 1985, com passagens em turnês de 2013 e 2014, LANCASTER obteve sucesso com os projetos BOMBERS e THE PARTY BOYS (confira esse playbacão de 1987).

Abaixo, faixas compostas por ALAN LANCASTER.








Descanse em paz, ALAN!

16 de setembro de 2021

DR. FEELGOOD: STEVE WALWYN DEIXOU A BANDA; GORDON RUSSELL ESTÁ DE VOLTA

Um dos grandes soldados do Pub Rock mundial pendurou as chuteiras em junho. Estou falando de STEVE WALWYN, guitarrista que estava no DR. FEELGOOD desde 1989 e optou por não mais participar de shows e cuidar da saúde de seu filho. Com isso, a banda anunciou o retorno do guitarrista GORDON RUSSELL. 

STEVE participou dos últimos quatro álbuns da banda com o lendário LEE BRILLEAUX nos vocais, Live In London (1990), Primo (1991), The Feelgood Factor (1993) e Down At The Doctors (1994), além de ter participado das demais gravações realizadas pela banda entre 1996 e 2006 incluindo o álbum de inéditas Chess Masters (2000). O currículo do guitarrista ainda conta trabalhos na banda CHEVY e com seu xará STEVE MARRIOTT (HUMBLE PIE). Ele também gravou um álbum solo em 2015 chamado Instinct To Survive.

STEVE WALWYN e LEE BRILLEAUX

SAI UMA FERA, RETORNA OUTRA

Quem assume a guitarra do DR. FEELGOOD é GORDON RUSSELL, que já havia gravado com a banda nos discos Doctor's Orders (1984), Mad Man Blues (1985), Brilleaux (1986) e Classic (1987). Curiosamente, quando GORDON deixou a banda em 1989, seu substituto foi  STEVE. Ou seja, está tudo em casa.

Desta forma, o DR. FEELGOOD mantém sua chama acesa no cenário do Pub Rock mundial, provando que, mesmo sendo um dos gigantes da música do Reino Unido, jamais deixou de tocar em bares e pequenos locais.

Abaixo, algumas faixas para celebrar a música de STEVE WALWYN. Aprecie sem moderação!


Obrigado pela música, STEVE! 


8 de setembro de 2021

VARIOS - I LOVE ROCK (1996)

As pessoas mais jovens talvez não compreendam a importância das coletâneas para os amantes da música nascidos antes dos anos 1990. Numa época em que o streaming não existia e que a música “física” custava caro, uma compilação era a oportunidade de se possuir o maior número de melhores faixas de uma banda (ou de várias) ao mesmo tempo. Uma boa coletânea era suficiente para você não ter que gastar com uma discografia completa ou comprar um álbum "inteiro" em razão de apenas uma música. Hoje em dia, ter acesso aos grandes sucessos da música mundial chega a ser algo banal.


A coletânea I Love Rock, lançada em 1996 pela Som Livre, fez ressurgir o mesmo espírito celebrado em outra coletânea da empresa: o LP Rock Esperto, de 1983 (reparou na capa do blogue?). Trata-se de uma casta de bandas que tem como característica aquele Rock contagiante executado nos saraus, duplex, bailes e casas noturnas dos anos 1970 e 1980 em alguns lugares do Brasil. Comparadas ao mundo mainstream de PINK FLOYD e LED ZEPPELIN, por exemplo, bandas como SLADE, THE HOLLIES, JOAN JETT AND THE BLACKHEARTS e LEFT SIDE eram underground puro, som de pista e boteco ao melhor estilo “Clap Your Hands and Stomp Your Feet”. Ou, como diria aquele sertanejo, “é na sola da bota, é na palma da mão” (risos).

Embora as coletâneas de sucessos sigam basicamente a regra de “uma faixa por banda”, isso não foi levado em conta neste caso. Talvez por sintetizarem a sonoridade que fazia a cabeça do povão roqueiro, seja pelo som marcante da bateria ou pelos riffs cheios de energia, ícones como GARY GLITTER e BACHMAN-TURNER OVERDRIVE ganharam mais de uma faixa na seleção em questão. Uma curiosidade deste lançamento é a última faixa. Não há cristão no mundo que me convença de que esta versão de "I Love Rock'N Roll" é cantada por JOAN JETT.

Em suma, se no dias atuais um adolescente me pedisse uma sugestão de coletânea que sintetizasse esse Rock um pouco Glam, um pouco Hard, um pouco Pub, um pouco Euro, essa seria uma delas. Afinal, quem não ama um roquinho esperto???


Artista: Vários
Título: I Love Rock
Ano: 1996
Gravadora: Som Livre
Formato: MP3
Qualidade: 320 kbps

01. The Loco-Motion (GRAND FUNK RAILROAD)
02. Hey You (BACHMAN-TURNER OVERDRIVE)
03. Mama Mia (LEFT SIDE)
04. Long Cool Woman In A Black Dress (THE HOLLIES)
05. I Didn't Know I Loved You Till I Saw You Rock’N Roll (GARY GLITTER)
06. Rock'N Roll (Part 2) [GARY GLITTER]
07. My Sharona (THE KNACK)
08. Do You Wanna Touch Me (Oh Yeah) [GARY GLITTER]
09. Down Down (BACHMAN-TURNER OVERDRIVE)
10. Mama Weer All Crazee Now (SLADE)
11. You Drive Me Crazy (SHAKIN’ STEVENS)
12. Born To Be Wild (STEPPENWOLF)
13. American Woman (THE GUESS WHO)
14. I Love Rock'N Roll (JOAN JETT AND THE BLACKHEARTS)


1 de setembro de 2021

QUEM LEMBRA? HARD TEMPLE RECORDS

Essa postagem tem como objetivo registrar minha memória sobre a Hard Temple Records, loja de CDs de Hard Rock que funcionou entre os anos 1990 e 2000 no térreo do Omar Shopping, localizado próximo à Praça Osório, aqui em Curitiba. 

Conheci o Omar Shopping na primeira metade dos anos 1990. Meu tio frequentava eventualmente o CD Club, uma espécie de clube de locação de CDs (falarei dele eu outra oportunidade). Posteriormente, descobri outras lojas por lá, como a Megaphone (onde cheguei a comprar cópias de Laserdiscs em fitas VHS da Bulk) e a loja do Rogério e do pai dele, que tinha um Opala amarelo. Não lembro o nome da loja deles, mas comprei uns bootlegs raríssimos do KISS por lá. Na sequência, conheci a Hard Temple. Uma loja focada no Hard Rock e que tinha como capitão o grande Marcelo Cruz, um dos grandes consultores do gênero em Curitiba.

Anúncio da loja virtual publicado na revista Rock Brigade

Lembro de ter torrado, em certa oportunidade, R$100 com fitas VHS “piratas” de shows raros do KISS (era a minha fase da Kissmania). Acho que isso foi em 1997. As fitas eram extremamente bem gravadas e tinham capa colorida. Duraram anos e foram muito bem curtidas.

Comprei vários CDs por lá, alguns à época de seus lançamentos, como os álbuns III, do VAN HALEN, e Psycho Circus, do KISS. Aliás, quando a turnê 3D do KISS passou pelo Brasil, fui ao show em São Paulo pela excursão da loja. Confira a postagem sobre esse show clicando AQUI.

Também fui cliente da loja virtual da Hard Temple, tendo feito uma compra pelo site no finalzinho dos anos 1990: uma coletânea dupla do GARY GLITTER que tenho até hoje. O pacote veio com alguns adesivos da loja, os quais guardei por um bom tempo.

Uma situação engraçada que ocorreu foi quando me dirigi à Hard Temple em um certo sábado pela manhã. Lembro que fiquei um tempão com um amigo (Zezinho) esperando a loja abrir, achando que funcionaria normalmente. Uma fila de cabeludos formou-se no outro lado da porta de entrada. Na verdade, a loja não faria vendas naquela data, pois integrantes do ANGRA ou coisa do tipo estavam na loja para uma sessão de autógrafos. Fui puto para casa (risos).

Lembranças à parte, acredito que a Hard Temple Records prestou grandes serviços ao público do gênero em Curitiba, não só pela venda de CDs, mas também na divulgação de shows, vendas de ingressos, excursões e sessões de autógrafos. Com o fim das atividades, os órfãos da Hard Temple foram acolhidos pela Classic Laser, loja da qual falarei em outra postagem.